Responsive Advertisement
O governador da Bahia, Jerônimo Rodrigues (PT), lançou na manhã desta quarta-feira (26), a edição de 2024 dos programas Bolsa Esporte e FazAtleta. A solenidade aconteceu no Centro de Treinamento de Boxe e Artes Marciais Waldemar Santana, no Largo de Roma, em Salvador. Os dois programas são vinculados à Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre).

 

"Renunciamos receitas, abrimos mão de receita importante que é o ICMS, que vem limpo para a gente fazer uso em Educação, em estradas, em Saúde e nas diversas vezes em políticas públicas. Então é melhor que a gente siga o termo da lei dizendo que abrimos mão, mas não abrimos mão do bom uso do dinheiro. São Bolsas que nenhum estado paga esse valor", afirmou em discurso o chefe do executivo estadual. "Não é falar mal ou bem, mas a gente sabe que algumas modalidades tem um apelo mais forte de quem é empresário e que quer investir. O futebol, por exemplo, a grande parte dos empresários gostam e querem por conta da cultura nossa. Mas as outras, eu sei o quanto vocês ralam, como por exemplo, Ginástica, Natação, modalidades de lutas. Vocês tem em mim esse aliado de vocês", completou.
 

O Governo da Bahia vai investir um total previsto nos dois editais de 2024 mais de R$ 13 milhões, sendo R$ 10 milhões destinados ao FazAtleta e 3,4 milhões para o Bolsa Esporte. Davidson Magalhães, titular da Setre, detalhou os novos valores.

 

"O valor anterior para o talento esportivo era R$ 380 e foi para R$ 800. A categoria nacional B era R$ 600 e foi para R$ 1.250, a A era R$ 800 e foi para R$ 1.500. Categoria Internacional C era R$ 1.000 e foi para R$ 1.800. A B era R$ 1.500 e foi para R$ 2.800 e a A foi de R$ 2.000 para 3.800. O Bolsa Esporte, portanto é esse instrumento. O FazAtleta, com parceria da Secretaria da Fazenda e com sua sensibilidade, quando nós assumimos era R$ 4 milhões, passou para R$ 6 milhões no primeiro ano do seu governo, foi para R$ 8 milhões e agora foi para R$ 10 milhões. É o maior investimento da história do FazAtleta", disse.
Criado por meio da Lei nº 11.363/2009 e coordenado pela Coordenação de Esporte, o Bolsa Esporte é um projeto estadual destinado a atletas, equipes e eventos que se enquadram na categoria de Esporte Amador Olímpico e Paralímpico e já beneficiou 856 atletas baianos. Já o FazAtleta, criado por meio da Lei nº 7.539/ 1999 e gerido pela Superintendência dos Desportos do Estado da Bahia (Sudesb), viabiliza o abatimento no ICMS para empresas, na Bahia, que apoiam financeiramente projetos esportivos, beneficiou, no ano passado, 174 atletas e atendeu 199 projetos.

Post a Comment