Responsive Advertisement

 

— Foto: Ney Silva/Acorda Cidade

A polícia acredita que os ciganos baleados e mortos em um restaurante em Feira de Santana já estavam sendo perseguidos pelos assassinos. A informação é do major Jorge Freitas, comandante da 64ª Companhia Independente da Polícia Militar do município, que atendeu a ocorrência. O ataque aconteceu por volta das 12h desta segunda-feira (14).

De acordo com ele, os alvos eram da mesma família e estavam em um grupo de oito pessoas. A ação dos assassinos apontam para um crime premeditado. “Quem fez, certamente, aproveitou a oportunidade para cometer o crime. Da maneira que aconteceu, nos indica que eles já estavam acompanhando os passos da família”, afirmou, em entrevista ao Correio.

Ao todo foram seis vítimas. Quatro morreram e duas ficaram feridas. Apenas uma das pessoas feridas não era da família cigana e, sim, um cliente do restaurante. Ele levou um tiro no braço. A outra é uma mulher, esposa de um dos homens mortos. Ela foi atingida com um tiro na perna. Os dois passam bem.

Não há informações sobre qual dos mortos é o marido da cigana. Ele chegou a ser socorrido junto com ela para o Hospital Geral Clériston Andrade, em Feira, mas não resistiu aos ferimentos. Ainda segundo o major, havia um pedido de prisão preventiva em aberto contra ele, que respondia por homicídio.A Polícia Civil identificou os mortos como Amilton Valadares dos Santos, de 51 anos; Jofre Souza dos Santos, 49; Agnaldo de Oliveira Souza Júnior, 35; e Altamir de Oliveira Souza, 27.

Post a Comment