Responsive Advertisement

 

Bruno de Souza Rodrigues ficou em posse do cartão da vítima e continuou movimentando a conta, enquanto ele estava desaparecido

Um ex-funcionário da Rede Globo é apontado como um dos suspeitos do assassinato do ator Jefferson Machado, que foi encontrado

 morto no dia 22 de maio, no Rio de Janeiro, após quatro meses desaparecido. A informação foi ao ar em reportagem do Fantástico exibida neste domingo (28).

Amigo do ator, Bruno de Souza Rodrigues trabalhou na emissora até 2018, quando foi demitido. A polícia investiga a possibilidade de Jeff ter sido enganado com a promessa de conseguir uma vaga para atuar em uma novela.

A mãe do ator, Maria das Dores Machado, afirmou que o filho gastou R$ 12 mil para conseguir o trabalho. “Você tem um sonho que ele é tão forte dentro de ti que a impressão é que você fica cego para a realidade”, disse ela ao Fantástico.

O advogado da família, Jairo Magalhães, afirmou que após a morte o suspeito ficou em posse do cartão bancário da vítima e continuou movimentando a conta. No período, Bruno teria sacado cerca de R$ 5 mil.

Responsável por registrar o desaparecimento, Bruno estava com as chaves da casa e do carro de Jeff Machado, sob alegação de que o amigo faria um trabalho em São Paulo. A justificativa, entretanto, levantou a desconfiança de Maria das Dores, que desconfiou quando recebeu mensagens de alguém que se passava pelo filho, dizendo que deixaria seus oito cães aos cuidados de um casal de amigos enquanto estivesse ausente.


A mãe achou estranho, pois o filho era muito apegado aos animais e por conta do vocabulário usado na mensagem, além do fato de Jeff não ter mais ligado para a família, como costumava fazer diariamente.

O corpo do ator foi encontrado dentro de um baú concretado a dois metros de profundidade em uma casa localizada na zona oeste do Rio de Janeiro, no dia 22 de maio.

Post a Comment