Breaking News
recent

olíticos repercutem desistência de Doria da corrida presidencial; veja

 

Políticos repercutem desistência de Doria da corrida presidencial; veja
Foto: Reprodução / Redes sociais

Após o ex-governador de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciar sua desistência da pré-candidatura à Presidência da República nesta segunda-feira (veja aqui), diversos políticos se manifestaram nas redes sociais em respeito ao tucano. Outros preferiram criticar a decisão e relacionar a saída da disputa a uma má gestão do governador em meio a pandemia da Covid-19. O anúncio foi feito ao lado do presidente do partido Bruno Araújo, sua esposa Bia Doria, o ex-prefeito de Salvador Antônio Imbassahy e outros membros da legenda.

 

Por meio de nota a senadora e pré-candidata ao Planalto Simone Tebet (MDB) disse que o tucano nunca foi o seu adversário direto. “Doria nunca foi adversário. Sempre foi aliado. Sua contribuição com a luta pela vacina jamais será esquecida. Vamos conversar e receber suas sugestões para nosso programa de governo”, disse.

 

Já o colega de partido, Eduardo Leite, ressaltou que o PSDB reve um candidato legítimo ortiun so das prévias. "Agora faz gesto pela unificação da terceira via sob liderança de outro partido. Gesto importante de jdoriajr, que merece respeito. As circunstâncias adversas de uma eleição não dimin uem a relevância do seu legado para o Brasil", postou. 

 

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, também parabenizou a desistência de Doria. "É um grande brasileiro.  Não bastasse o excepcional governo em São Paulo, devemos a ele - graças a sua obstinação e capacidade de trabalho - milhares de vidas salvas pela sua incessante luta pela vacina da Covid. Tem meu respeito", twittou.

 

O deputado, e ex-presidente da Câmara, Rodrigo Maia, elogiou o colega e o colocou na posição de líder em meio a pandemia da Covid-19. "@jdoriajr foi um grande governador de SP, um governo que ainda será reconhecido por todos os brasileiros. Além disso, liderou o Brasil nesse processo da pandemia, trazendo a vacina. Hoje faz um gesto generoso na tentativa de construção de um candidato no nosso campo político", postou.

 

O ex-ministro da justiça, Sérgio Moro, lembrou do tempo que atuaram juntos. "Lembro em particular do nosso trabalho conjunto, Ministério da Justiça e Governo de São Paulo, para isolar as lideranças do PCC em presídios federais. Doria tem méritos na vida pública", postou.

 

Já o deputado federal Eduardo Bolsonaro, em tom irônico, disse que torcia pela candidatura de Doria. "Calcinha não desistiu, desistiram ele. Sempre soubemos, mas eu torcia para que ele fosse candidato. Não que 1% fosse fazer diferença, mas politicamente afundaria o PSDB e seria no mínimo divertido vê-lo pela 1ª sendo perguntado sobre questões que sua imprensa amiga jamais levanta", postou. 

 

O empresário Luciano Hang relacionou a desistência do tucano ao que considerou uma má gestão do governador paulista da pandemia da Covid-19. "@jdoriajr desistiu da pré-candidatura à presidência. O povo enxerga o teatro que políticos fizeram na pandemia, tentando crescer em cima de algo tão triste. Queriam destruir a economia, criar uma narrativa e se apresentar como salvadores da pátria. Mas o tiro saiu pela culatra", disse.

 

Para a deputada federal Joice Hasselmann a desistência de Doria foi uma perda para o partido. "Em coletiva, emocionado, @jdoriajr desiste da candidatura à presidência. Perde o @PSDBoficial, perde o Brasil. Os extremos, por hoje, comemoram".

 

O senador Flávio Bolsonaro considerou que "Ao desistir da pré-candidatura, Doria mostra que a conta do autoritarismo é a impopularidade. Só lamento dele não ter desistido, na época, de mandar soldar e fechar portas de comércios e de prender pessoas que estavam na rua buscando seu sustento e de suas famílias", twittou.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.