Breaking News
recent

PRESENÇA MATERNA ESTIMULA RECUPERAÇÃO RÁPIDA DE BEBÊS NO MANOEL NOVAES

 

Um projeto de humanização tem sido um bom aliado na recuperação de bebês prematuros internados nos leitos das unidades de Terapia Intensiva (UTI) Neonatal e Canguru do Hospital Manoel Novaes (HMN), em Itabuna. Implantado há pouco mais de cinco meses, o “Mãe Acompanhante” possibilita que as mamães fiquem maior tempo mais próximas de seus filhos, amamentando, dando carinho e acompanhando a assistência da equipe multidisciplinar da unidade.

Entre as mães que participam do projeto está a fisioterapeuta Lorenna Alves dos Santos, moradora do bairro da Conquista, em Ilhéus. A mãe de Liz, de 2.380 kg, aprovou a iniciativa do hospital pediátrico. “Não sei como estariam as nossas vidas se eu tivesse que passar o dia inteiro longe dela. Certamente eu ficaria aflita e ansiosa para saber, o tempo todo, informações sobre a minha filha”. A pequena Liz nasceu no dia 30 de abril.

Mãe de primeira viagem, Lorenna afirma que a experiência de participar do projeto é enriquecedora e que o desenvolvimento da bebê está sendo espetacular. A fisioterapeuta conta que o resultado está superando a expectativa da família. “Ficamos juntas por mais tempo. Isso tem contribuído para que a revolução dela ocorra de maneira mais rápida”, acredita. Ela se desloca de Ilhéus para Itabuna todos os dias da semana.

Quem também fez questão de ficar mais tempo perto da filha foi Eliana Queiroz da Cruz, moradora do Parque Verde, em Itabuna. Desde o dia 28 de abril que a mãe da pequena Iarley, que pesa 2.772kg, chega à unidade por volta das 8h para passar a maior parte do dia ao lado da pequena. “Deixo a unidade no início da noite, às 18h, com o coração partido. A saudade seria ainda maior se tivesse de passar mais tempo longe da minha bebê”, conta.

REATAR VÍNCULO

A diretora técnica do HMN, a médica Fabiane Chávez, explica que o projeto ajuda a restabelecer o vínculo do bebê com a mãe, que foi temporariamente desfeito pelo fato dele ser prematuro ou por outra complicação de saúde que precise de internação na UTI Neo Neonatal. “Quando a mãe pode ficar com o filho em recuperação, o vínculo é refeito e a alta médica acaba sendo muito mais rápida”, observa.

A médica afirma que já foi comprovado cientificamente que os bebês ganham peso mais rápido quando estão juntos das mães, que cuidam da alimentação, dando banho e trocando fralda. “Para os bebês e toda a família é reconfortante que as mães estejam acompanhando o progresso dos filhos. Esse processo é muito gratificante para a nossa equipe também, pois o foco aqui é prestar assistência de qualidade aos pacientes. Toda a vez que melhoramos a assistência para eles, estamos melhorando as nossas condições de trabalho também”, avalia.

Fabiane Chávez explica que não existe restrição para ingresso das mães no projeto de humanização. Elas só precisam ter disponibilidade de tempo para ficar ao lado dos bebês, que necessitam estar estáveis para a inclusão. “Mas o nosso plano é aumentar o número de participantes, com a inclusão de bebês que precisam de cuidados maiores por causa da gravidade no quadro de saúde. Estamos esperando somente que melhore essa situação da pandemia do novo coronavírus. A expectativa é que isso ocorra no próximo ano”.

De acordo com a psicóloga da UTI Neonatal do HMN, Thatyanna Rodrigues, o projeto tem ferramentas que contribuem para o fortalecimento do vínculo afetivo com o recém-nascido, reduzindo o estresse parental e familiar. “Além de preparar os pais para os cuidados com o recém-nascido e buscar neutralizar os efeitos decorrentes da separação”, detalha a profissional. As mães que participam do projeto ficam das 8 às 18h, todos os dias da semana, e têm direito a todas as refeições do dia.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.