Breaking News
recent

"A Bahia precisa de polos regionais muitos mais fortes", diz ACM Neto em Luís Eduardo Magalhães

"A Bahia precisa de polos regionais muitos mais fortes", diz ACM Neto em Luís Eduardo MagalhãesO ex-prefeito de Salvador e presidente nacional do Democratas, ACM Neto, afirmou nesta terça-feira (19) que a Bahia precisa de polos regionais mais fortes, sem a concentração de riqueza em apenas uma região. A declaração foi dada durante entrevista coletiva em Luís Eduardo Magalhães, no Oeste do estado, onde Neto realizou um encontro com a equipe do prefeito Junior Marabá (Democratas) para debater gestão municipal e apresentar pontos sobre sua experiência ao longo de oito anos no comando da prefeitura da capital. 

Na coletiva, o ex-prefeito ainda ressaltou que o grande desafio dos prefeitos neste início de mandato é equilibrar as contas municipais e destacou que a região Oeste tem uma grande fronteira de crescimento e desenvolvimento para a Bahia. Acompanharam ACM Neto o deputado federal João Roma (Republicanos) e o deputado estadual Paulo Câmara (PSDB). 

“Quando a gente compara com outros estados mais desenvolvidos, a gente vê que são mais equilibrados no seu desenvolvimento regional, têm polos regionais muito mais fortes, não tem a concentração da riqueza apenas em um polo ou uma região. Esse é o grande desafio da Bahia”, afirmou o democrata. 

Na reunião com a equipe do prefeito Junior Marabá, ACM Neto apresentou ideias que considera como mais importantes e os fundamentos principais para o início de uma gestão. “O ponto de partida que fiz em Salvador e sei que é o grande desafio do prefeito é equilibrar as contas da prefeitura. Esse é o primeiro desafio. Depois, fazer um trabalho de planejamento da gestão. Luís Eduardo Magalhães tem estrutura que possa trabalhar com planejamento estratégico, metas, iniciativas vinculadas a essas metas, acompanhamento dos marcos de entregas”, explicou.

Importância do Agro - Ele lembrou que o Brasil vive uma grave recessão econômica desde 2015, mas ponderou que, na Bahia, o agronegócio foi na contramão e trouxe números positivos. “Temos aqui uma fronteira de crescimento e desenvolvimento para o estado da Bahia que, se for olhada com mais atenção, se houver presença mais intensa por parte dos governantes em geral, a gente passa a ter perspectiva futura de maior desenvolvimento econômico, geração de emprego, dinamização da renda, ter cada vez mais municípios fortes, que ofereçam à Bahia no futuro uma perspectiva de desenvolvimento regional muito mais equilibrada”, destacou. 

ACM Neto também se colocou à disposição para interlocução junto à ministra da Agricultura, Tereza Cristina. “A ministra Tereza Cristina é do nosso partido, é uma pessoa muito qualificada, com quem eu tenho já uma relação antiga. Tenho certeza de que ela vai ter sensibilidade naquilo que couber ao Ministério para ajudar a região”, assegurou.

Questionado sobre os desafios para o Oeste, ele disse que a infraestrutura e a energia são fatores importantes para o desenvolvimento da região. No primeiro item, citou a necessidade de atenção às estradas para o escoamento da produção. “Precisa de matriz energética consistente para pensar na ampliação da produção, no fortalecimento sobretudo do parque industrial, que é algo que vem crescendo de maneira consistente, e mais uma vez é fundamental a articulação estadual e federal”, complementou.

Sobre o início da gestão de Junior Marabá, ACM Neto recordou de quando assumiu a Prefeitura de Salvador em 2013. “Ele enfrenta uma situação, claro que guardadas devidas as proporções, muito parecida com aquela que enfrentei oito anos atrás. Junior recebeu uma cidade com muitos problemas, mas chega com uma visão jovem, transformadora, com disposição de fazer um trabalho revolucionário, ter uma gestão que sirva de modelo e exemplo, não só para o Oeste, mas para toda a Bahia”, disse. 

Eventual candidatura - Na semana passada, ACM Neto iniciou a série de visitas pelo Extremo Sul, indo a Teixeira de Freitas e Eunápolis, sendo recebido pelos prefeitos Marcelo Belitardo e Cordélia Torres, respectivamente, ambos do Democratas. Segundo Neto, o início pelo Extremo Sul e pelo Oeste tem “todo um peso simbólico”. 

"Sabemos que há um sentimento muito forte, muito presente nas pessoas, em relação ao distanciamento, muitas vezes, das autoridades da Bahia. Aqui não me cabe fazer críticas a ninguém, o propósito não é esse. Mas acho que temos um desafio para o futuro de encurtar a distância física. Se, por um lado, a distância física é real, por outro a presença, as ações, a atenção, o cuidado podem ser completamente diferentes”, afirmou. 

Sobre 2022, ACM Neto voltou a enfatizar que não tem realizado a cidades do interior como pré-candidato ao governo do estado. “Não estou rodando o estado como pré-candidato. Neste momento, o foco é dividir experiência com os prefeitos. Mas, ao trazer o meu conhecimento, experiência, também levo na minha bagagem a atualização de informações”, pontuou. 

Ele pontuou que, caso seja postulante ao governo, “a Bahia verá o mais completo plano de governo que um candidato já apresentou”. “Mais do que isso: minha ideia é poder reunir cabeças, não só da Bahia, mas de fora, para a gente pensar fora da caixa, para trazer soluções inovadoras. A principal base é a necessidade de termos um plano de desenvolvimento econômico, que não pode olhar apenas uma região”, disse, ao ressaltar novamente a necessidade de pensar no desenvolvimento regional.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.