Breaking News
recent

Dentre medalhões e novatos, confira nova Câmara de Vereadores de Itabuna e um balanço dos resultados de domingo

 

A nova Câmara de Vereadores de Itabuna começa a ser avaliada e as expectativas, projeções e especulações tendem a aumentar acerca dos 21 edis que comporão a casa no quadriênio entre 01 de janeiro de 2021 e 31 de dezembro de 2024. 

Como será a atuação de cada um dos eleitos pela população? Ao final de quatro anos, terá valido à pena elegerem estes nomes? Respostas que só o futuro poderá nos trazer, mas se não ficarmos de olho no presente, e cobrarmos ininterruptamente para que cumpram com o escopo desta nobre função que ocuparão, não poderemos cobrar ou lamentar daqui a quatro anos. 

Eleitos mais uma vez

Dos 21 atuais vereadores, cujos mandatos começaram em 2017, apenas 12 tentaram eleger-se novamente este ano. Quatro conseguiram mais esta vez a confiança do povo e foram eleitos, sendo eles: Pastor Francisco, Ronaldão, Alex da Oficina e Ricardo Xavier, todos com mais de mil votos, mantiveram-se na Casa. 

Tentativa fracassada

Já Chico Reis, Ninho Valete, Nel do Bar, Júnior do Trator, Milton Gramacho, Beto Dourado, Babá Cearense, Chicão e  Robinho não repetiram a vitória de 2016, e não serão mais vereadores a partir de 01º de janeiro de 2021. Milton, Beto e Babá até que foram bem votados, de  modo que, pode-se dizer que não alcançaram a vitória. 

Por outro lado, Chico Reis foi o grande destaque negativo do atual quadro de edis que tentaram eleger-se novamente. Se em 2016 Chico Reis obteve 1135 votos, desta vez, foram apenas 503, uma performance pífia e decepcionante. 

Chico Reis

Alguns eleitores do município, em contato com o Verdinho Itabuna, relataram que, de fato, o comportamento de Chico Reis não condiz com o de um homem do povo, de maneira que em três pleitos seguidos, ele aparecia frequentemente para pedir votos e fazer promessas em comunidades como Pedro Jerônimo, Sarinha Alcântara, Daniel Gomes, etc. 

Depois, sumia por quatro anos, e ninguém nem ouvia falar. De acordo com esses depoimentos, Chico chegou a virar as costas pra alguns de seus eleitores. Um de seus antigos cabos eleitorais chegou a dizer à nossa equipe que esses 503 votos que obteve domingo foram de novos eleitores, conquistados nessa campanha, porque os antigos eleitores, já não votam mais nele. O resultado foi esse, limitou-se à mediana performance e não será vereador no quadriênio que está por vir. 

 Ninho Valete

Chicão e Nel do Bar também tiveram resultados ruins, comparados aos de 2016. Ninho, o mais votado naquele ano, com 1883 votos, desta vez, obteve, acreditem, apenas 212 votos. Isso significa que 1671 pessoas deixaram de votar no edil. Não há como não olhar para estes números com espanto, esta é a verdade. 

Outros projetos

Charliane, candidata derrotada a prefeita e Jairo Araújo, candidato derrotado a vice-prefeito de Geraldo Simões, não estarão na vereança a partir de 2021. Enderson Guinho também não, mas será o novo vice-prefeito, já que venceu junto com Augusto Castro. 

Guinho, representante da força jovem, já havia se destacado na candidatura a deputado estadual, há dois anos, quando obteve 8.444 votos, sendo o terceiro mais votado de Itabuna, atrás apenas do próprio Augusto e de Geraldo Simões. Muitas pessoas em Itabuna atribuem boa parte do crescimento de Augusto Castro nessa campanha atual, ao promissor engajamento político de Enderson Guinho, que na vereança, não se omitiu de praticar ferrenha oposição ao governo atual e conquistou crescimento pessoal no meio . 

Cadê vocês? O que foi que houve?

Aldenes Meira, Manoel Júnior, Antonio Cavalcante, Zico e Júnior Brandão, cada um por seu motivo, não tentaram desta vez. O Verdinho Itabuna tem portas abertas caso queiram explicar ao povo porque há quatros anos queriam tanto abraçar as causas do povo, e agora, não querem mais...

Os novatos

Dos vereadores eleitos em 2020, além dos quatro remanescentes citados acima, e dos dois que retornam à Câmara, ambos com destaques (Gílson da Oficina com 1157 votos e Solon Pinheiro com 1076), as grandes incógnitas de como serão suas atuações, claro, são os novos eleitos. Para estes, o desafio pode parecer menor, mas o dever de atuar é o mesmo. 

Dos nomes que estarão pela primeira como Vereador de Itabuna, pode-se destacar o mais votado de todos, o artista Fabrício Pancadinha. Foram impressionantes 1574 votos. 

Fabrício Pancadinha

Manoel Porfirio (1500 votos), Sivaldo Reis (1389 votos), Cosme Resolve (1278 votos), Francisco (1203 votos), Luiz Júnior da Saúde (1113 votos), Israel Cardoso (1052 votos) e Piçarra (1024) são outros novos vereadores que superaram a casa milhar em número de votos

Completam a lista de novatos, Danilo da Nova Itabuna, ligado ao sindicato rodoviário, Wilma, única mulher a ocupar a função, Nem Bahia, Erasmo Ávila, Dando Leone, Adão Lima e Kaiá da Saúde.  

Eleitores também destacaram, ao Verdinho Itabuna, a merecida vitória de alguns desses que são homens simples e voltados pra causas comunitárias, tais como Piçarra do Fonseca e Kaiá da Saúde, que já vinham tentando a vereança há alguns anos. Outros eleitores, porém, fazem a ressalva e a contrapartida na falta de preparo ou instrução de alguns dos eleitos, e que podem se tornar verdadeiros fantoches nas mãos da turma mais experiente. 

Soldado Valéria em 2012, Charliane em 2016 e agora, Wilma em 2020. Infelizmente, Itabuna, mais uma vez, só elege uma mulher, e a Câmara perde em equilíbrio nas decisões. Necessita-se, substancialmente, de mais integrantes do sexo feminino na Casa, por uma democracia realmente representativa. Pensemos nisso nas próximas vezes.

Precisamos, não somente aguardar as cenas dos próximos capítulos, mas atuar intensamente na fiscalização do trabalho desses edis, que afinal de contas, representam, ou, ao menos, devem representar, os interesses de todos nós, cidadãos de Itabuna

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.