Breaking News
recent

Suspeito de matar pré-candidato a vereador em MG, irmão de prefeito é preso

 

Suspeito de matar pré-candidato a vereador em MG, irmão de prefeito é preso
Jonas Marra, ex-secretário de Obras | Foto: Pref. de Patrocínio/ Divulgação

Suspeito de matar o candidato a vereador de Patrocínio (MG), Cássio Remis, o ex-secretário de Obras da cidade, Jorge Marra, foi preso na tarde deste domingo (27). Ele se entregou na Delegacia Regional da cidade mineira, onde prestou depoimento.

 

Em coletiva após a oitiva, os delegados que cuidam do caso informaram que Marra foi encaminhada para um presídio porque havia mandado de prisão preventiva contra ele. A unidade para onde ele foi levado foi mantido sob sigilo por questões de segurança.

 

A defesa do suspeito e a Polícia Civil fizeram acordo para que o ex-secretário se apresentasse de forma espontânea às autoridades. Ainda segundo os delegados, Marra respondeu quase todas as perguntas feitas durante o depoimento.

 

"A oitiva durou cerca de três horas e ele (Jorge Marra) cooperou com 99% das perguntas que os delegados fizeram. Nós demos oportunidade também para que os advogados fizessem perguntas para esclarecer alguns pontos que ficaram controversos", declarou o delegado Valter André. 

 

A Polícia Civil aguarda a finalização dos laudos periciais para definir se serão necessários novos depoimentos. De acordo com os delegados, Marra pode ser enquadrados nos crimes de roubo, por ilegal de arma de fogo e homicídio qualificado, por motivo fútil e uso de recurso que impossibilitou a defesa da vítima. 
 
 
O CASO
O crime aconteceu na quinta-feira (24), após Cassio realizar transmissão ao vivo nas redes sociais. Durante a tarde, enquanto fazia uma live denunciando uma obra realizada pela prefeitura, a vítima foi interrompida por Marra (DEM), que chegou em uma caminhonete branca e tomou o celular do político. Veja vídeo que mostra o momento dos disparos:

 

"Tá aqui o secretário. Chegaram aqui para me agredir, entendeu? Não pega meu telefone!", afirma Remis no vídeo antes de ter o celular tomado.

 

Em outra gravação, é possível ver o secretário saindo com o veículo e Remis na frente do carro tentando impedir que o celular fosse levado. Ele então tentou entrar na sede da Secretaria de Obras para recuperar o aparelho, momento no qual foi baleado. Segundo a Polícia Militar, Remis foi atingido por cerca de seis disparos -cinco deles na cabeça- e morreu no local.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.