Breaking News
recent

Prefeitos tentam prorrogar mandatos.





 Numa concorrida assembleia realizada ontem pela manhã, mais de 200 prefeitos baianos bateram o martelo: vão desencadear pressões junto aos seus deputados federais em favor da aprovação da PEC 56-2019, do deputado Rogério Peninha (MDB-SC), que prorroga os mandatos dos atuais prefeitos e vereadores por dois anos, a pretexto de acabar no Brasil essa de eleições de dois em dois anos.
A ideia em si é boa, mas as circunstâncias atuais, ruins. Ou pior, tal mudança para valer já, eliminando as eleições de 2020, é quase impossível.
Pedras do caminho
Veja as pedras do caminho, segundo deputados baianos em Brasília.
1 — A PEC precisa de dois terços, ou 307 votos, e grande parte dos deputados quer virar prefeito em 2020, o que dificulta o quórum.
2 — Mesmo pressionado por prefeitos, o conjunto dos deputados tem também eleitores entre os que não são prefeitos, mas querem ser. Se agradar um, desagrada outro. É melhor calar.
3 — Pautas como a da Previdência são prioritárias. De prorrogação, nem se fala.
Os prefeitos ancoram-se no fato de que colegas de outros estados, como Minas e Goiás, estão fazendo a mesma pressão, o que dá no mesmo.
De qualquer forma, os prefeitos baianos têm um trunfo: dos 417, só 74 se reelegeram em 2016, o que quer dizer que 343, um número recorde, estão aptos à reeleição

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.