Breaking News
recent

Presidente do PSL nega ‘boicote’ a BA e diz já ter convidado Zé Ronaldo para sigla

Foto: Reprodução/ Instagram
Foto: Reprodução/ Instagram
A presidente do partido do presidente da República eleito, Jair Bolsonaro (PSL), na Bahia, deputada federal eleita Dayane Pimentel, negou, em entrevista ao programa de rádio Acorda Cidade, nesta terça-feira (30), que o futuro governo fará qualquer “boicote” ao estado.Ela se dirigiu ao governador Rui Costa (PT), acusando o petista de retaliar deputados na Assembleia Legislativa, e afirmou que o mesmo não deve ser feito em na gestão “bolsonarista”.  “O governador Rui está fazendo uma análise com base naquilo que ele reflete. Ele deve tratar assim os deputados estaduais dele, deve boicotar aqueles que são oposição. Mas ele pode ficar tranquilo, que isso não vai acontecer no governo Bolsonaro, desde quando o governo estadual tome diretrizes que venham beneficiar ao povo. A gente não faz política para político, a gente faz política para a sociedade”, disse.
Apesar da afirmação de Dayane, Bolsonaro já deu declarações que indicam retaliação aos opositores. Ele já foi intimado pela Procuradoria Geral da República (PGR), em outubro, para se explicar depois de dizer que ia “fuzilar a petralhada”. Depois chegou a dizer, no último dia 21, que “os marginais vermelhos” seriam banidos do País.
Sobre a possibilidade de boicote, o presidente do PT na Bahia, Everaldo Anunciação, disse que, para evitar possíveis represálias políticas, a sigla lançará mão de todas as ferramentas a fim de fiscalizar a atuação da futura gestão Bolsonaro, o que, segundo ele, deverá ser feito por meio da bancada de oposição no Congresso.
Convite – Na entrevista desta terça, a presidente do PSL também chegou a dizer que fez um convite ao candidato derrotado ao governo estadual, Zé Ronaldo (DEM), para que integrasse o partido, ainda quando ele cogitava se candidatar ao Senado.  “O PSL é aberto para todas as pessoas que queiram se unir a nós e ajudar nosso projeto. Já fiz esse convite ao José Ronaldo, no início, quando ele ainda estava com pretensão de sair ao senado. Nosso partido quer crescer, buscando pessoas que entendam o perfil do Bolsonaro”, declarou.
No entanto, em entrevista à mesma rádio, na segunda-feira, Ronaldo disse que não cogitou a mudança de partido e afirmou ser precipitado especular sobre a próxima eleição municipal. “Nunca conversei sobre sair do DEM e ir para o PSL com ninguém e ninguém nunca conversou comigo. As pessoas falam aquilo que vem na cabeça, mas nunca conversei a esse respeito. A mente é muito fértil e política faz se pensar muito. Qualquer coisa que se fale agora é precipitação. Também estão falando sobre uma eleição em 2020 pulverizada. Na eleição passada já teve vários candidatos incentivados pelo governador Rui Costa. Essas coisas são muito prematuras. Uns falam uma coisa outros dizem outra, mas quem sabe das coisas com tanta antecedência? Acho que as definições só começam a partir de janeiro de 2020. Até lá é precipitação, ninguém pode antecipar nada”, frisou.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.