Breaking News
recent

Palocci entrega todo mundo, o homem da propina

Palocci entrega todo mundo – Mais um ladrão abre a boca a favor do Brasil e vai faltar cela aqui
pra tanto vagabundo.
O procurador da República Athayde Ribeiro Costa afirmou que Antonio Palocci

“Importante lembrar que isso revela efeitos nefastos da corrupção. Além de assolar os cofres públicos, nós percebemos os problemas ambientais e socioambientais da Usina de Belo Monte. Populações ribeirinhas, indígenas foram desamparadas, as condicionantes socioambientais não foram cumpridas e hoje a gente vê o dinheiro engordando os cofres e os bolsos dos políticos.”
foi porta-voz do governo para direcionar os pedidos de propina durante a construção
da Usina de Belo Monte.
Segundo o MPF, MDB e PT são os partidos envolvidos no esquema.
— Em virtude dessa ajuda, que na verdade constituiu uma fraude ao leilão,
Delfim Netto foi angariado com direcionamento das vantagens indevidas que
Palocci havia pedido ao PT e ao MDB.

Palocci entrega todo mundo, o homem da propina

Atuais alvos de busca na Operação Buona Fortuna, integrante da 49ª fase da Lava Jato,
o ex-ministro Antonio Palocci (Casa Civil e Fazenda/Governos Lula e Dilma), o
ex-ministro da Fazenda da ditadura Antônio Delfim, o empre´sario Luiz Appolonio
Neto e seu sobrinho estão sendo investigados por ações ilegais.

Palocci entrega todo mundo, o homem da propina

Segundo a operação, já foram rastreados pagamentos que somam R$ 4,5 milhões de um total
estimado em R$ 15 milhões, pelas empresas Camargo Corrêa, Andrade Gutierrez, Odebrecht,
OAS e J. Malucelli, todas integrantes do Consórcio Construtor de Belo Monte, no Pará, em
favor de pessoas jurídicas relacionadas a Delfim Netto, por meio de contratos
fictícios de consultoria.

Palocci entrega todo mundo, o homem da propina

“Antonio Palocci disse a Flávio Barra e Otávio Azevedo, da Andrade Gutierrez, que
10% da propina destinada ao PT e ao MDB deveria ser direcionada a Antonio Delfim
Netto em virtude da sua ajuda na estruturação do consórcio”, declarou.
“Importante lembrar que isso revela efeitos nefastos da corrupção. Além de
assolar os cofres públicos, nós percebemos os problemas ambientais e socioambientais
da Usina de Belo Monte. Populações ribeirinhas, indígenas foram desamparadas, as
condicionantes socioambientais não foram cumpridas e hoje a gente vê o dinheiro
engordando os cofres e os bolsos dos políticos.”

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.