Breaking News
recent

Cerca de mil pessoas protestaram contra o ex-presidente em ato no Marco Zero


Priscila Carvalho/GES-Especial
Manifestação que começou na madrugada de sexta (23) encerrou por volta das 20h30
Com cânticos como “Olê, olê… Olê, olê… ‘tamo’ na rua pra derrubar o PT”, o ato contrário a presença do ex-presidente Lula reuniu cerca de mil pessoas – pelas estimativas da organização do evento e da Brigada Militar - no Marco Zero da Rota Romântica, junto a BR-116, em São Leopoldo. “Era o que eu queria: um ato pacífico, em que as pessoas pudessem trazer suas famílias e que pudéssemos demonstrar nossa indignação”, disse uma das organizadoras da ação nas redes sociais, a massoterapeuta, Priscila Bauermann.
Um trio elétrico esteve no local e diversas faixas foram colocadas nas árvores, postes, no viaduto sobre a rodovia e estendidas no chão com palavras de repúdio a Lula, à Prefeitura de São Leopoldo e ao Supremo Tribunal Federal. Palavras de ordem e pedidos de “Lula na prisão” também eram gritados a todo o momento. Além disso, a maioria dos simpatizantes carregava bandeiras do Brasil e bonecos do ex-presidente com roupa de presidiário. Cartazes com apoio a possíveis candidatos a presidente este ano também puderam ser vistos.
Organizador do manifesto junto com Priscila, o técnico de rede, Samuel Schmidt, explicou o porquê da criação do evento. “Nenhum brasileiro deve ter corrupto de estimação”, afirmou. “Por exemplo: se eu roubar o teu carro e dar carona pra ti, tudo bem? Com o Lula é a mesma coisa. Ele está sendo condenado na Lei da Ficha Limpa e ainda quer concorrer de novo!”, enfatizou Schmidt.
O ato com trio elétrico iniciou por volta das 17 horas, mas alguns manifestantes já estavam desde a meia-noite desta sexta-feira (23), em escala de revezamento, no Marco Zero. Por volta das 20h30, a manifestação teve encerramento e o público dispersou. Muitos foram para a frente do Ginásio Celso Morbach, onde Lula chegou por volta das 21 horas.
Manifestantes vieram de outras cidades
Alguns simpatizantes ao ato contra a presença de Lula vieram de outros municípios para participar do evento. Caso de Felipe Broch, 22 anos, que saiu de Riozinho para apoiar a ação. “Está todo mundo cansado disso. Por isso, eu vim de lá: pra manifestar contra tudo que ele fez de errado no nosso país”, salientou. Também sozinho, o contador, Claudio Camozzato, 64 anos, veio de trem da Capital e ficou a beira da BR-116 balançando sua bandeira. “Sou contra ver um país com uma política que comanda os três poderes, subordinando os Estados e os interesses públicos”, opinou.
Vendedores aproveitaram ato
Ao mesmo tempo em que mais simpatizantes chegavam para se unir ao protesto, alguns vendedores também surgiam para tentar lucrar na manifestação. Desempregado, Valdemir Zimmermann, de 49 anos, morador de Canoas, soube do ato porque foi convidado para oferecer bandeiras do Brasil no mesmo. “Se soubesse que tinha em outras cidades, tinha ido também”, salientou. Zimmermann saiu de lá com alguns colegas, também vendedores, apenas para tentar arrecadar um “dinheirinho” com o ato. “Tem que trabalhar, né?”, ponderou.
No fim, trânsito tranquilo
O caos que a presença de Lula causaria no trânsito de São Leopoldo - tanto dentro da cidade, quanto na BR-116 -, no fim, não se confirmou. Na BR- 116, houve a lentidão rotineira dos fins de tarde e noite, desde o Zoológico de Sapucaia do Sul até o viaduto da Rodoviária (sentido POA-NH) e desde a Scharlau até o Rio dos Sinos, no sentido oposto. A manifestação no Marco Zero não chegou a agravar a situação, mas chamou a atenção dos motoristas, que reduziam a velocidade. Para evitar transtornos maiores, muitos utilizavam a avenida Mauá para chegar ou sair de São Leopoldo.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.