Breaking News
recent

Gualberto nega falta de identidade do PSDB e lamenta 'emendas em plenário'

Quinta, 03 de Agosto de 2017 - 18:50


por Bruno Luiz
Gualberto nega falta de identidade do PSDB e lamenta 'emendas em plenário'
Foto: Estela Marques/ Bahia Notícias
O presidente estadual do PSDB, deputado federal João Gualberto (BA), negou que haja falta de identidade no partido, com forte divisão interna após o arquivamento da denúncia por corrupção passiva contra o presidente Michel Temer. O placar da sigla foi de 22 votos a favor de Temer e 21 contrários, o que expõe a rachadura na agremiação. Segundo Gualberto, entretanto, esta situação não passa de uma “diferença de pensamento e interesses”. Em entrevista ao Bahia Notícias, ele defendeu um “relançamento do partido”, para que o PSDB “volte às origens”. “A diferença de opinião, de pensamento, é desde o impeachment, porque não havia consenso sobre integrar o governo. Quando chegou essa denúncia, acentuou a divisão interna, que está muito clara. Nós vamos fazer reunião na próxima semana para discutir o assunto. A gente tá pensando em lançar um ‘Movimento Mário Covas’ de relançar o partido. Vamos ver os próximos passos”, afirmou. Ainda de acordo com o deputado, o desejo majoritário entre os tucanos - com destaque a bancada da Câmara - de abandonar o governo do peemedebista, deixando que o partido apenas apoie pautas consideradas importantes para o país. Na avaliação dele, não há condições da sigla recompor a relação com o governo, condição imposta pelo presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), para aprovar reformas como a da Previdência. “Quanto a isso [recompor relações com o PSDB], o presidente Michel Temer não precisa fazer nenhum gesto para os deputados. Quem votou contra ele, ele não precisa se preocupar, não queremos nenhum gesto”, assegurou, ao brincar sobre as pressões do Centrão para que Temer reorganize a distribuição de cargos na base, retirando espaço dos tucanos, diante da dissidência sobre o apoio ao governo: “Tomara que leve todos os ministérios”. Gualberto ainda classificou como “triste” o episódio em que o ministro Antonio Imbassahy (PSDB), licenciado do cargo para votar a denúncia contra Temer, foi flagrado negociando emendas no plenário da Câmara. “Se foi verdade, é triste. Não tenho como atestar isso, pois só vi pela imprensa. O vi conversando com várias pessoas, mas não sei se foi isso”, posicionou-se. 

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.