Breaking News
recent

Formosa do Rio Preto: Após prisão e suposta agressão, vice-prefeita deve processar PM

Segunda, 21 de Agosto de 2017 - 19:20


por Ana Cely Lopes / Cláudia Cardozo / Bruno Luiz
Formosa do Rio Preto: Após prisão e suposta agressão, vice-prefeita deve processar PM
Ubiraci Lisboa e Verônica Lisboa | Foto: Reprodução / Jornal o Expresso
A advogada e vice-prefeita de Formosa do Rio Preto, Verônica Lisboa, teria sofrido agressões físicas de um tenente da Polícia Militar do Estado da Bahia (PM-BA) na tarde deste domingo (20). De acordo com o marido dela, Ubiraci Moreira Lisboa, o caso começou quando a vice-prefeita, em condição de advogada, foi a um hospital dar assistência a um filho de uma conhecida, autuado por posse ilegal de arma. Como o jovem estava com lesões na cabeça, ela teria o questionado sobre o que houve. Ele respondeu que havia sofrido agressões dentro do quartel policial. Ao ouvir a conversa entre o detido e a advogada, o tenente Sulivan teria solicitado que a advogada saísse da dala de emergência. Verônica respondeu que não sairia pois estava no exercício legal de sua profissão. Sulivan não teria gostado da resposta e sugeriu que ela se retirasse novamente, afirmando que se se ela não saísse ele daria voz de prisão por desacato. Ela repetiu que não sairia e assim, o tenente a teria pego pelo braço "de forma brusca, truculenta, agressiva, aplicando um golpe de 'gravata'", explicou Verônica, no Boletim de Ocorrência efetuado nesta segunda (21) na Delegacia Territorial de Formosa do Rio Preto. O tenente teria a arrastado pelo braço do hospital até a viatura da Polícia Militar, seguindo com ela para delegacia. Ao chegar à unidade, Verônica solicitou o direito de efetuar uma ligação e obteve negativa. O marido, Ubiraci, teria chegado ao local minutos depois, momento em que se apresentou como advogado. Após ouvir sobre as irregularidades que estaria cometendo, Verônica afirma que o tenente "recuou da intenção de conduzi-la para Delegacia de Barreiras". O marido da vice-prefeita afirma que ela ficou com hematomas e que passou por atendimento em uma unidade médica. Segundo Ubiraci, ela entrará com ação contra o tenente por abuso de autoridade. O presidente da Comissão de Prerrogativas da Ordem dos Advogados do Brasil – Seção Bahia (OAB-BA), Adriano Batista, ao Bahia Notícias, confirmou a situação vivenciada pela advogada e informou que a entidade já marcou uma reunião com a Secretaria de Segurança Pública (SSP-BA) para pedir o afastamento dos policiais envolvidos na agressão. Segundo Adriano, é preocupante a situação na região de Barreiras, pois a Polícia Militar “não respeita a cidadania e as prerrogativas dos advogados”. Questionada pelo Bahia Notícias, a SSP-BA informou que a reunião com a OAB está marcada para quarta, mas que a Polícia Militar tem autonomia para cuidar dos casos de abuso por meio de sua corregedoria. "Esses casos ficam com a PM e são supervisionados pela SSP", explicou o assessor. Até o momento do fechamento da matéria a PM não se posicionou sobre a denúncia de abuso de autoridade.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.