Breaking News
recent

Exclusivo: Temer deu aval a R$ 3 milhões em dinheiro vivo a Cunha


Valor foi descontado do crédito de R$ 15 milhões destinado pelo PT ao então vice-presidente na campanha eleitoral de 2014
DIEGO ESCOSTEGUY
31/07/2017 - 20h57 - Atualizado 31/07/2017 22h19
Compartilhar
Assine já!
No começo da campanha eleitoral de 2014, o então vice-presidente, Michel Temer, candidato à reeleição com Dilma Rousseff, autorizou a JBS a entregar R$ 3 milhões em dinheiro sujo ao então deputado Eduardo Cunha, do PMDB, um de seus principais aliados na Câmara. O pagamento foi combinado por Temer com Ricardo Saud, lobista do grupo, em um encontro no escritório do vice na Praça Pan-Americana, em São Paulo. A JBS descontou os R$ 3 milhões de Cunha do crédito de R$ 15 milhões a que Temer tinha direito junto à empresa. Esses R$ 15 milhões, por sua vez, haviam sido autorizados pelo PT – e foram debitados da conta de propina da JBS no BNDES.

>> Propina do BNDES rendeu R$ 1 milhão em dinheiro vivo a Temer em 2014

   

Após receber a orientação de Temer, Saud consultou Cunha sobre a forma de pagamento dos R$ 3 milhões. O deputado pediu à JBS que pagasse em dinheiro vivo. Para não haver equívocos, Saud procurou Temer pessoalmente. Queria o aval do vice-presidente. “Pode fazer”, disse Temer, segundo o relato de Saud. O pagamento foi registrado em uma das planilhas de propina da JBS, controlada pelo funcionário Demilton. No final da linha aparece a sigla “MT”, de Michel Temer.

RECOMENDADO PARA VOCÊ


CD Player Philco PB330... Com este CD Player Philco suas músicas estarão com você...
R$ 313,50
CLIQUE AQUI



Impressora Samsung Xpr... Fabricante: Samsung Modelo: SL-M2020 Tipo de impressão...
R$ 535,62
CLIQUE AQUI



Impressora Laser Mono ... A impressora HL-1202 ajuda a aumentar sua produtividade...
R$ 429
CLIQUE AQUI



Celular Desbloqueado L... Celular Desbloqueado LG C300 Preto/Amarelo QWERTY...
R$ 159,90
CLIQUE AQUI

>> Empresas das contas de propina do BNDES tinham sede nas Bahamas, revelam documentos da JBS

Cunharasgad (Foto: Arte Época)
Trecho de planilha da propina da JBS. Os R$ 3 milhões foram entregues a Eduardo Cunha, após autorização de Temer (Arte Época)
Naquela campanha, Temer e Saud haviam estreitado suas relações e vinham se reunindo com frequência. Em um dos encontros em seu escritório, Temer abriu seu coração ao lobista. Estava preocupado. Não gostava de ter de repassar tanto dinheiro a correligionários. Dos R$ 15 milhões que tinha de crédito com a JBS, Temer tinha de repassar R$ 3 milhões a Eduardo Cunha para “fortalecer o partido”. Temia perder aquela disputa presidencial. Não gostava, sobretudo, da ideia de ter a companheira de chapa, Dilma Rousseff, e seu partido, o PT, controlando sozinhos o caixa da campanha.

>> Temer repassou propina da JBS a deputado líder do PMDB; confira o cheque

>> As provas da JBS

Nota da Presidência da República:

"A quadrilha comandada pelo bandido Joesley Batista fabrica em profusão versões e planilhas. O presidente nunca teve 'crédito' junto às empresas do meliante da Friboi. Nem autorizou transferências a outros parlamentares. A conversa com o capanga é absolutamente ficção barata. O vazamento dessa nova versão tem o claro interesse de tentar influenciar na votação da Câmara dos Deputados."

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.